quarta-feira, maio 14, 2008

Esperança frustrada

Hoje tive a esperança de, pela primeira vez em 14 anos de profissão, conseguir usar a internet para uso privado ("postar" aqui no blog) durante o meu horário de trabalho de componente lectiva (leia-se 'aula'). É que sabia que só ia ter um aluno e pensei que talvez desse para ler uns blogs e actualizar o meu enquanto ele trabalhava. Enganei-me redondamente! Mesmo só com um aluno, tive que estar os 90 minutos da aula a dar-lhe toda a atenção. Confesso que, habituada que estou a um regime de horário em que se tem falta quando se chega com 6 minutos de atraso, sinto um misto de inveja e de escândalo daqueles que deslizam suavemente ao longo de um dia de trabalho, sem stress, sem depender ferozmente do relógio, tratando de assuntos que não são exclusivamente profissionais...

Àqueles que me lêem e que têm a felicidade de poder misturar (nem que seja por breves minutos) o pessoal no profissional, não se ofendam, por favor, que isto não é uma crítica. Nem todos os professores em todos os ciclos de ensino vivem a componente lectiva do seu horário semanal com a mesma rigidez. No 1º ciclo, esta é vivida com muito mais tranquilidade e flexibilidade. E aqui invejo estas minhas colegas.

sábado, maio 03, 2008

Maria


Há 4 anos fazia-me tia, a primeira sobrinha. Inicia-se uma fase diferente da vida, quando os irmãos passam a ser pais, mesmo sem nós próprios o sermos. Passamos a acompanhar de perto (ou com uns quilómetros pelo meio) o crescimento e conquistas de alguém que, não tendo nascido de nós, tem inevitavelmente um pouco de nós e também nos projecta o futuro. Apesar de ter ganho por afinidade outros sobrinhos, a Maria será sempre a primeira, a que me fez uma tia orgulhosa, dela e dos sobrinhos que se seguiram.

Para ti, Maria, um xi-coração muito, muito apertadinho e muuuiiiitos beijinhos de parabéns! És muito preciosa, sobrinha!